Termo de Referência: Sessão De Formação Sobre A Utilização Da Plataforma Drclima (WACA)

The World Bank

São Tomé and Príncipe 🇸🇹

TERMO DE REFERÊNCIA

SESSÃO DE FORMAÇÃO SOBRE A UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA DRCLIMA –  WACA

Tipo de Contratação: Consultor Individual

Tipo de Contrato: Baseado no tempo

Duração: Quarenta e cinco dias (45)

1. Contexto e justificação da formação

Como parte da implementação do Programa de Gestão das Áreas Costeiras da África Ocidental (WACA), o Projecto de Investimento em Resiliência das Áreas Costeiras da África Ocidental (WACA ResIP P16237) foi formulado e financiado pelo Banco Mundial para seis países da África Ocidental e Central. Estes são Benim, Costa do Marfim, Mauritânia, São Tomé e Príncipe, Senegal e Togo.

O objectivo de desenvolvimento do projecto (ODP) é a construção de resiliência em comunidades costeiras específicas e em áreas da costa da África Ocidental. Os desafios são partilhados entre países e são frequentemente de natureza transfronteiriça. Quatro componentes estruturam este projecto, sendo:

  • Componente regional 1 “Reforço da integração regional” gerida pela UEMOA;
  • Componente nacional 2 “Reforço das políticas, instituições e sistemas nacionais e criação de observatórios nacionais”;
  • Componente nacional 3 “Investimentos físicos e sociais para a resiliência costeira das comunidades vulneráveis” para a adaptação aos efeitos das alterações climáticas; e
  • Componente Nacional 4 “Coordenação e Gestão de Projecto”.

As componentes 2, 3 e 4 do projecto estão operacionalizadas ao nível de cada país beneficiário. No quadro da implementação ao nível de São Tomé e Príncipe, o projeto visa aumentar a capacidade de adaptação das comunidades costeiras vulneráveis à variabilidade e mudanças climáticas.

O WACA ResIP STP aborda diretamente as principais prioridades de adaptação de São Tomé e Príncipe identificadas no Programa de Acção Nacional de Adaptação de 2007 (NAPA) e na Contribuição Determinada Nacional de 2015 (NDC). Aborda as três principais prioridades do NAPA (formação e equipamento dos pescadores artesanais, sistema de alerta precoce para as mudanças climáticas e ação de comunicação sobre a mudança de comportamento), bem como as prioridades 9 (relocalização das comunidades costeiras expostas a inundações e catástrofes) e 10 (construção de abrigos para pescadores artesanais).

No que diz respeito a operacionalização do Observatório nacional, o WACA ResIP STP tem vindo a atuar em estreita colaboração com a Direcção Geral do Ambiente através do Observatório de Informação Ambiental, disponibilizando ferramentas que permiti equipar o observatório com um conjunto de equipamentos e materiais informáticos para recolha, tratamento e processamento de informação coleta no terreno sobre o progresso das implementações físicas do projecto a serem disseminada na Plataforma DRCLima. Essa plataforma foi desenvolvida durante a primeira fase da implementação do projecto de adaptação as mudanças climáticas em São Tomé e Príncipe, cujo a sigla designa-se PAMCZC, baseada em software de Open Soure que tem por finalidade facilitar na tomada de decisão.

A gestão dessa plataforma encontra-se actualmente assegurada por equipa Brasileira que desenvolveu a referida em estreita colaboração com os técnicos do observatório de informação ambiental, onde os mesmo, têm coletados dados com recurso aos gps e posterior partilha com a equipa brasileira que insere na plataforma.

Por tanto, a gestão da plataforma requer o domínio de um software de cartografia pelos actores e pontos focais do observatório de informação ambiental. Consequentemente, a UGP WACA ResIP STP, em colaboração com a Direcção Geral do Ambiente por via do Observatório de Informação Ambiental, planeou formar os actores do observatório de informação ambiental sobre a utilização e gestão da plataforma DRCLima. Esta formação centrar-se-á na manutenção e sustentação da Plataforma, na utilização e interpretação das informações da Plataforma e no desenvolvimento e atualização das camadas do webmap para os técnicos do Observatório. O presente termos de referência descrevem as modalidades de organização desta formação.

2. Objectivo da formação

O objectivo geral dessa formação é de reforçar as capacidades dos técnicos do da DGA-OIA, CONPREC, SNPCB sobre a matéria de manutenção, sustentação e operacionalização da plataforma da DRCLima em geral e em particular na interpretação das informações da Plataforma, no desenvolvimento e atualização das camadas do webmap.

Especificamente a formação tem como produtos os seguintes:

  • Assegurar aos participantes os conhecimentos relativos a inclusão meta-dados sobre as camadas incluídas dentro da plataforma.
  • Fornecer aos participantes conhecimentos básicos sobre a alteração de sistemas de projecção e coordenadas, e medição de áreas e distâncias usando a ferramenta QGIS.
  • Dar aos participantes conhecimentos práticos sobre a inserção/alteração de dados para além do QGIS.
  • Assegurar que os participantes tenham conhecimentos básicos relativos á realização de copia de segurança (back-up) das informações alimentadas na plataforma,

3.      Resultados esperados 

No final da formação, 15 participantes deverão ser capazes de alimentar a plataforma através da importação dados externos, editá-los, consultá-los e interpreta-los dentro e fora da plataforma, efeituar cópias de segurança dos dados bem como estar apto para reiniciar o sistema em caso de ocorrência de erro.

Em termos concretos, são esperados os seguintes produtos:

Produto 01: Apoio à manutenção e sustentação da Plataforma.

  1. Documentação de apoio à manutenção dos servidores e sustentação da aplicação web, contendo especificações técnicas para a gestão operacional da plataforma.
  2. Assegurar a transferência efectiva da plataforma no servidor da Direcção Geral do Ambiente.
  3. Manual para operação e sustentação do servidor.
  4. Videoaula com principais instruções para consulta rápida, com duração de 10’ a 15’ minutos, entregue junto à capacitação e disponibilizada, se desejado, em plataforma livre para consulta (youtube).
  5. Vídeo com principais instruções direccionados aos usuários públicos das funcionalidades da plataforma e como usar, com duração máxima de 10 minutos.

Produto 02: Treinamento para utilização e interpretação das informações da Plataforma

  1. Documentação de sistema, código fonte e arquitetura do software*
  2. Manual para uso da Plataforma, incluindo conceitos relevantes ao entendimento do seu conteúdo.
  3. Capacitação à distância para técnicos nacionais com 15 horas-aula, objetivando a interpretação do manual e prática de uso da Plataforma.
  4. Videoaula com resumo do conteúdo, com duração de 10 a 15 minutos, entregue junto à capacitação e disponibilizada, se desejado, em plataforma livre para consulta (youtube).

Produto 03: Treinamento para desenvolvimento e atualização das camadas do webmap.

  1. Manual para elaboração e atualização das camadas com informações geográficas, incluindo conceitos básicos de SIG.
  2.  Capacitação à distância para técnicos nacionais com um total  15 horas-aula, objetivando a interpretação do manual e atividades práticas.
  3. Videoaula com principais instruções para consulta rápida, com duração de 10 a 15 minutos, entregue junto à capacitação e disponibilizada, se desejado, em plataforma livre para consulta (youtube).

4.      Reporting

         O consultor trabalhará sob a responsabilidade da Unidade de Gestão do Projecto WACA ResIP STP, e em estreita colaboração com a Direcção Geral do Ambiente, Serviço Nacional de Protenção Civil e Bombeiros e o Conselho Nacional de Prevenção de Risco e Catastrofe.

5. Perfil de Consultor (a)

O (a) consultor (a) deve possuir as seguintes qualificações:

  • Ter pelo menos 10 ano de experiência no campo Gestão de Risco
  • Ter experiência de mais de 5 anos em Sistema Integrado de Informações sobre Desastres
  • Ter experiência em missõess semelhantes financiadas pelo Banco Mundial ou outras organizações internacionais semelhantes constotuirá uma vantagem;
  • Experiência na organização de formação e trabalho em grupo;
  • A experiência em região e em pequeno estados insulares seria uma vantagem;
  • Ter um domínio de português.

POSITION TYPE

ORGANIZATION TYPE

EXPERIENCE-LEVEL

LANGUAGE REQUIRED